A Dignidade da Pessoa Humana, a Boa-Fé Objetiva e a Funcão Social do Contrato

Autores

  • Romano Deluque Júnior Universidade Anahnaguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Cristiane Maluf Rodrigues Correia Universidade Anahnaguera Uniderp. MS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2019v20n1p25-35

Resumo

À luz de uma reflexão jusfilosófica, a pessoa humana ascende enquanto sujeito de maior relevância para a ciência do Direito, nesse mesmo sentido, se faz relevante citar que o Direito possuiria, em todas as suas instâncias, a seguinte preocupação: de caminhar paralelamente a um verdadeiro senso de justiça, que se volte à solidariedade e ao bem comum. O presente artigo possui como objetivo fazer emergir uma reflexão ética acerca da função social dos contratos, por sua vez aqui percebida tal como um instituto norteador das relações jurídicas contratuais relacionando-a  com a questão da dignidade da pessoa humana enquanto basilar princípio constitucional. A discussão proposta decorrer-se-á de modo a defender a premissa de que a manutenção e a defesa dessa dignidade ocorreriam  dentro de uma perspectiva contratualista, a partir da observância e do respeito pelos limites impostos pela própria função social dos contratos, na figura da probidade contratual, da boa-fé objetiva, e da defesa dos interesses difusos e institucionais. Propõe-se, ainda, discutir a respeito de uma ética contratual contemporânea, que a partir dos conceitos aqui em análise, possuiria o intento de superar o ciclo histórico de individualismo exacerbado, e substituí-lo pelo ideal da coexistencialidade. Nessa nova perspectiva ter-se-á em pauta o instituto da boa-fé objetiva, através da qual a relação negocial passaria a ser vislumbrada a partir de uma ética do comum proveito, que caminharia, não obstante, à harmonia jurídico-contratual em prol da coletividade e dos interesses difusos.

 

Palavras-chave: Função Social do Contrato. Contratos. Direito Civil.

 

Abstract

On the  light of a jus-philosophical reflection, the human being ascends as a subject of greater relevance to the science of Law, in the same sense, it is relevant to mention that Law would have, in all its instances, the following concern: to walk in parallel to a true sense of justice, to return, to solidarity and to the common good. The purpose of this article is to make an ethical reflection about the social function of contracts, in turn perceived here as an institute guiding contractual legal relationships  regarding the issue of the dignity of the human person as a basis for constitutional principle. The proposed discussion will be carried out in such a way as to defend the premise that the maintenance and defense of this dignity would take place, from a contractual perspective, from the observance and respect for the limits imposed by the social function of the contracts themselves, figure of contractual probity, objective good faith, and defense of diffuse and institutional interests. It is also proposed to discuss a contemporary contractual ethic that, based on the concepts analyzed here, would attempt to overcome the historical cycle of exacerbated individualism and replace it with the ideal of coexistentiality. In this new perspective, the institute of objective good faith, through which the negotiating relationship would be perceived from an ethic of common advantage, would nevertheless follow the legal-contractual harmony in collective and diffuse interests.

 

Keywords: Social Function of Contract. Contracts. Civil Law.

Biografia do Autor

Romano Deluque Júnior, Universidade Anahnaguera Uniderp. MS, Brasil.

 

Universidade Católica Dom Bosco (UCDB); Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal (UNIDERP - Anhanguera), Psicólogo, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UCDB, Pesquisador de Temas como Preconceito e Democracia, Graduando em Direito. 

E-mail: romanodeluque@gmail.com


Cristiane Maluf Rodrigues Correia, Universidade Anahnaguera Uniderp. MS, Brasil.

Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal (UNIDERP - Anhanguera); Advogada, Especialista em Direito Civil e Direito Processual Civil, Professora de Ensino Superior em Direito Civil e Processo Civil, atuando como advogada e Parecerista nas áreas de Direito Civil, Direito do Consumidor, Direito Empresarial e Direito do Trabalho.

E-mail: cristiane_correia.adv@hotmail.com

Referências

ANDRADE, A.G.C. O princípio fundamental da dignidade humana e sua concretização judicial. Rev. EMERJ, Direito Público, v.6, n.23, p.316-335, 2003.

BARBOSA, E.; COSTA, T.C.A.A concepção de dignidade humana em Ronald Dworkin: um problema de ética prática. Rev. Filosofia, v.13, n.1, p.306-316, 2016.

BAILO, G.L.; VIOLA, A.M.B.; MARICHAL, M.E. Bienes comunes en los primeros códigos civiles latinoamericanos. Rev. Direito GV, v.14, n.2, p.775-803, 2018.

BARROSO, L.R. Here, there, and everywhere: human dignity in contemporary law and in the transnational discourse. Boston College Int. Comp. Law Rev., v.35, n.2, p.331-394, 2012.

BRASIL. Assembléia Nacional Constituinte. 191-A. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. 5 out. 1988, Sec. 1, p. 1.

BRASIL. Senado Federal. 10.406. Código civil e legislação correlata. Subsecretaria de Edições Técnicas. 2008.

BUNDESREPUBLIK DEUTSCHLAND. Bürgerliches Gesetzbuch [1990] (Código Civil Alemão, versão de promugação). Bundesministerium der Justiz und für Verbraucherschutz. jan. 2002, Sec. 2909.

DWORKIN, R. Justice for Hedgehogs. London: The Belknap Press of Harvard University Press, 2011.

FACHIN, L.E. Relações jurídicas, contratos e responsabilidade: uma liberdade, duas funcionalizações, três problematizações. Rev. Esc. Magistratura do TRF da 4a Região, v.1, n.2, p.103-116, 2015.

FARIAS, C.C.; NELSON, R.; BRAGA NETTO, F. Manual de direito civil. Salvador: Juspodivm, 2019.

GADAMER, H.-G. Verdade e método. Petrópolis: Vozes, 1997.

GONÇALVES, H.A.C.; LOPES, M.H. A dignidade da pessoa humana e o valor social do trabalho. Rev. Direito Econ. Socioamb., v.4, n.607, p.129, 2013.

LOPES, J.R.L. Direitos humanos e tratamento igualitário: questões de impunidade, dignidade e liberdade. Rev. Bras. Ciênc. Soc., v.15, n.42, 2000.

MARINONI, L.G.; SARLET, I.W.; MITIDIERO, D. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2017.

MARTINS-COSTA, J. A boa-fé no direito privado: critérios para a sua aplicação.São Paulo: Saraiva Jur, 2018.

MATTIETTO, L. Função social e diversificação do direito de propriedade. Rev. Fac. Direito Campos, v.6, n.6, p.155-168, 2005.

NALIN, P.R.R. A função social do contrato no futuro Código Civil brasileiro. Rev. Direito Privado, v.3, n.12, p.50-60, 2002.

REZENDE, C.L.; ZYLBERSZTAJN, D. Quebras contratuais e dispersão de sentenças. Rev. Direito GV, v.7, n.1, p.155-176, 2011.

ROSENVALD, N. A função social do contrato. Rev. MPMG Jurídico, v.2, n.9, p.10-20, 2007.

SALOMÃO FILHO, C. Função social do contrato: primeiras anotações. Rev. Tribunais, v.93, n.823, p.67-86, 2004.

SARLET, I.W. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

TARTUCE, F. Manual de Direito Civil. São Paulo: Método, 2018.

Downloads

Publicado

2020-02-07

Edição

Seção

Artigos