A Teoria e Prática como uma Proposta de um Diagnóstico Empresarial

Autores

  • Claudio Luiz Chiusoli Unicentro – Universidade Estadual do Centro Oeste. PR. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2017v18n1p40-50

Resumo

As organizações buscam cada vez mais serem competitivas para melhor atender o mercado, e para isso precisam se organizar internamente, conhecendo os pontos fortes e aprimorando os pontos deficientes, por este motivo se registra a importância do diagnóstico empresarial. O objetivo deste artigo é analisar a opinião dos gestores quanto as ações estratégicas utilizadas, relativas às áreas funcionais da empresa. O levantamento bibliográfico considerou como estrutura teórica as principais áreas de uma organização que são: marketing, finanças, produção e recursos humanos. A metodologia da pesquisa aplicada realizou um levantamento com 29 empresas, junto ao gestor responsável, cuja coleta foi realizada pessoalmente por alunos do Curso de Administração da disciplina Diagnóstico Organizacional. Os resultados sugerem a pouca aplicação e uso de uma gestão mais eficiente nas empresas pesquisadas e, assim, foi possível ao diagnosticar cada área funcional a proposição de um plano de ação para solução das fragilidades encontradas nas organizações. Como contribuição do estudo foram apontadas as áreas que precisam de maior dedicação dos gestores e, ao mesmo tempo, este estudo permitiu aos alunos do Curso de Administração um melhor aprendizado ao associar a teoria com as práticas aplicadas dentro das organizações. Assim, o estudo não só contribuiu para a ampliação do conhecimento acadêmico dos alunos, mas também com a riqueza de informações, que agregaram valores para as decisões do gestor. Como limitação do estudo se aponta que os resultados ficam restritos para a análise entre empresas investigadas, não permitindo generalizações, uma vez que a amostragem foi não probabilística por julgamento.

Palavras-chave: Diagnóstico organizacional, planejamento, ambiente interno.

Abstract
Organizations increasingly seek to be competitive in order to better serve the market and, for this, they need to organize themselves internally, knowing the strengths and improving the deficient points, for this reason, business diagnosis are very important. The objective of this article is to analyze the managers’ opinion as to their strategic actions used regarding the functional areas of the company. The bibliographic survey considered as theoretical structure the main areas of an organization, which are: marketing, finances, production and human resources. The methodology of the research was done by means of a survey with 29 companies, together with the manager in charge, whose collection was carried out personally by the administration course students of the discipline Organizational Diagnosis. The results suggest the little application and use of a more efficient management in the companies researched and thus, it was possible, when diagnosing each functional area, the proposition of a plan of action to solve the fragilities found in the organizations. As a contribution of the study, it was pointed out the areas that need more effort on the managers’ part and, at the same time, allowed to the administration course students a better learning when associating the theory with the applied practices within the organizations. Thus, the study not only contributed to the increase of the academic knowledge of the students, but also to the wealth of information that added values to the manager’s decisions. As a limitation of the study, the results are restricted to the analysis among investigated companies, not allowing generalizations, since the sampling was non-probabilistic by judgment.

 

Keywords: Organizational diagnosis, planning, internal environment.

Biografia do Autor

Claudio Luiz Chiusoli, Unicentro – Universidade Estadual do Centro Oeste. PR. Brasil.

Leciona desde 1994, passando pelas principais instituiçoes privadas, entre ela a Unopar. Tem pós Doutorado na PUCPR (2016), Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana, Linha de pesquisa: Política Pública, Gestão Pública e Administração Municipal. Doutor em Administração pela Universidade de São Paulo (2005), área de concentração em marketing. Mestrado de administração pela Universidade Norte do Parana (1999). Pós graduação de marketing (1994), comportamento organizacional (1998) e em estatística (UEL-2005). Graduação em Economia pela Universidade Estadual de Londrina (1993) e Curso de aperfeiçoamento em gestão administrativa na Drexel University - Filadélfia, Pensilvânia, Estados Unidos (2000). Atuou como pesquisador e consultor na área mercadológica para diversas empresas e como credenciado ao Sebrae. Atualmente é professor da UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro Oeste (Guarapuava) - Departamento de Administração (DEADM).

Referências

AAKER, D. A.; KUMAR, V.; DAY, G. S. Pesquisa de Marketing. 2. São Paulo: Atlas, 2009

AMBRÓSIO, V. Plano de marketing: um roteiro para a ação. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007

BERTAGLIA, P. R. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. 2. Ed. rev. E atual. São Paulo: Saraiva, 2009

CATOIU, I.; TUDOR, L.; BISA, C. Knowledge-intensive business services and business consulting services in romanian changing economic environment. Amfiteatru Economic, Bucharest, v. 18, n. 41, p. 40-54, 02, 2016

CHIAVENATO, I. Iniciação à administração da produção. São Paulo: Makron, McGraw – Hill, 1991

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos, São Paulo: Atlas, 2002

CHIAVENATO, I. Treinamento e desenvolvimento de recursos humanos: como incrementar talentos na empresa. 7ed. Barueri: Manole, 2009

Dias, M. A. Administração de materiais. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2010

ELGENNENI, S. M. de M. Recrutamento e Seleção de Pessoal, São Paulo, Ed. Pearson, 2009

FERREL, O. C.; HARLINE, M. D. Estratégia de marketing São Paulo: Cengage Learning, 2009

FESTA, G. et al.The (r)evolution of wine marketing mix: From the 4Ps to the 4Es. Journal Of Business Research, [s.l.], v. 69, n. 5, p.1550-1555, 2016

EYVRIGH, G.M. A review of marketing strategies. Kuwait Chapter of the Arabian Journal of Business and Management Review, Kuwait City, v. 6, n. 1, p. 77-83, 09, 2016.

GAITHER, N.; FRAZIER, G. Administração da produção e operações. 8. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2006

Gitman, L. V. Princípios de administração financeira. 2. Ed. São Paulo: Bookman, 2004

GUERCI, M. et al.The Impact of Human Resource Management Practices and Corporate Sustainability on Organizational Ethical Climates: An Employee Perspective. Journal Of Business Ethics, [s.l.], v. 126, n. 2, p.325-342, 10 no, 2013

Herzberg, F. Novamente: Como se faz para motivar funcionários. In: BERGAMINI, C.W; CODA, R. (Org), Psicodinâmica da vida organizacional. São Paulo: Atlas, 1997

HILDEBRANDT, S. Targeting demographics in beverage marketing: identifying preferences of the most influential groups in the nation. Beverage Industry, Oct. 2012, p. 18+, 2012

HONORATO, G. Conhecendo o marketing. Barueri: Manole, 2004.

HOUSTON, J. F., & BRIGHAM, E. F. (2004). Fundamentos da moderna administração financeira. Porto Alegre: Campus.

KEEGAN, W. J. (2005). Marketing global. 7 ed. São Paulo: Prentice Hall.

KOTLER, P. (1998). Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5. ed. São Paulo: Atlas.

KOTLER, P.; Keller, K. L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006

KURTS, D. L.; BOONE, L. E. Marketing contemporâneo. São Paulo: Cengage Learning, 2009

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2007

Landsberg, M. Teoria da Motivação. São Paulo: Ed. Pensamento-Cultrix, 1999

MALHOTRA, N. K. et. Al. Introdução à pesquisa de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2008

MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. São Paulo: Saraiva, 2000

MCCARTHY, E. J. Basic marketing: a manageriaI approach. 6th ed. Richard D. Irwin, Homewood, 1978

MILKOVICH, G. T.; BOUDREAU, J. W. Administração de recursos humanos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002

MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações. São Paulo: Pioneira Thomsom Learning, 2002

NICKELS, W. G.; WOOD, M. B. Marketing: relacionamentos, qualidade, valor. Rio de Janeiro: LTC, 1999

NIKBAKHT, E.; GROPPELLI, A. A. Administração financeira. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 1998

NONAKA, H. T. Administração de vendas: marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009

OLIVEIRA, S. L. Tratado de Metodologia Científica. 2ª Ed. São Paulo, Pioneira, 2001

POZO, H. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2004

PROENÇA, F. R. Custos e formação de preços: processos gerencias II. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009

ROSA, J. A. Roteiro para análise e diagnóstico da empresa. São Paulo: STS, 2001

RIES, A.; TROUT J. Posicionamento: a batalha por sua mente. São Paulo: Pearson Makron Books, 2002

SEBRAE Critérios de classificação de empresas: MEI - ME - EPP. Disponível em: <http://www.sebrae-sc.com.br/leis/default.asp?vcdtexto=4154>. Acesso em: 23 jan. 2017

SEBRAE (Org.). Negócio a Negócio. 2009. Disponível em: <http://www.sebraepr.com.br/>. Acesso em: 10 mar. 2017.

Slack, N. et al. Administração da produção. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2002

SNATKIN, A., et al. Production monitoring system development and modification/Tootmise seiresusteemi arendamine. Proceedings of the Estonian Academy of Sciences, vol. 64, no. 4 SI, 2015

TANKE, M. L. Administração de Recursos Humanos em hospitalidade. São Paulo: Cengage, 2004

TUBINO, D. F. Manual da planejamento e controle da produção. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2000

VARADARAJAN, R. Strategic marketing and marketing strategy: domain, definition, fundamental issues and foundational premises. Academy of Marketing Science, v. 38, n. 2, p. 119-140, 2010

ZDANOWICZ, J. E. Fluxo de caixa: uma decisão de planejamento e controle financeiro. 9. edição – Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto. 2002

ZHAO, Z., ZUO, J., & ZILLANTE, G. Situation and Competitiveness of Foreign Project Management Consultancy Enterprises in China. Journal of Management em Engenharia, v. 27, n. 4, p. 200-209, 2011

Downloads

Publicado

2017-11-03

Edição

Seção

Artigos