Análise dos Critérios para se Definir o Dies a Quo dos Prazos Prescricionais e Decadenciais

Autores

  • Jonathas Alves Dias Universidade Anhanguera – Uniderp, Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Civil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2018v19n2p108-112

Resumo

A prescrição e a decadência são institutos intimamente relacionados ao tempo e fundados em interesses de ordem pública, capazes de extinguir a pretensão e o próprio direito, respectivamente. Neste contexto, torna-se relevante conhecer os critérios utilizados para identificar a partir de quando se inicia o decurso do prazo capaz de ocasionar consequências tão graves. Para este fim, foi realizada pesquisa bibliográfica de doutrina, legislação e jurisprudência. Demonstrou-se que para se identificar o dies a quo dos prazos prescricionais e decadenciais é necessário fazer uso de critérios distintos, com destaque para a faceta subjetiva da teoria da actio nata.

 

Palavras-chave: Prescrição. Decadência. Actio nata. Dies a quo.

 

Abstract

Prescription and decadence are institutes closely related to time and founded on interests of public order, capable of extinguishing the pretension and the own right, respectively. In this context, it becomes relevant to know the criteria used to identify  when the time period begins to cause such serious consequences. For this purpose, a bibliographical research was carried out on doctrine, legislation and jurisprudence. It was demonstrated that, in order to identify the dies a quo of the prescriptive and decadential deadlines, it is necessary to make use of different criteria, especially the subjective facet of the actio nata theory.

Keywords: Prescription, decadence. Actio nata. Dies a quo.

Biografia do Autor

Jonathas Alves Dias, Universidade Anhanguera – Uniderp, Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Civil.

Técnico Judiciário  do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Especialista em Direito Civil.

Referências

AMARAL, F. Direito Civil: introdução. Rio de Janeiro: Renovar, 2003.

AMORIM FILHO, A. Critério científico para Distinguir a prescrição da decadência e para identificar as ações imprescritíveis. Rev. Direito Civil Contemp., v.7, p.343-375, 2016.

BRASIL. Lei Nº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do Consumidor. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm>. Acesso em: 19 fev. 2017.

BRASIL. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Código Civil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406.htm>. Acesso em: 18 fev. 2017.

BRASIL. Lei Nº 12.016, de 7 de agosto de 2009. Disciplina o mandado de segurança individual e coletivo e dá outras providências. 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12016.htm>. Acesso em: 20 fev. 2017.

BRASIL. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm>. Acesso em: 21 fev. 2017.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. REsp 1.020.801/SP, Rel. Min. João Otávio de Noronha, DJe. 26.04.2011 – informativo 470. 2011. Disponível em: <http://www.conteudojuridico.com.br/informativo-tribunal,informativo-470-do-stj-2011,31994.html>. Acesso em: 05/08/2017

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Súmula Nº 278. O termo inicial do prazo prescricional, na ação de indenização, é a data em que o segurado teve ciência inequívoca da incapacidade laboral. 2003. Disponível em: <http://www.stj.jus.br/SCON/sumulas/enunciados.jsp?&b=SUMU&p=true&l=10&i=301>. Acesso em: 22 dez. 2017.

DINIZ, M.H. Curso de Direito Civil Brasileiro: teoria geral do Direito Civil. São Paulo: Saraiva, 2012.

FARIAS, C.C.; ROSENVALD, N. Curso de Direito Civil: volume I. Salvador: JusPODIVM. 2012.

GAGLIANO, P.S.; PAMPLONA FILHO, R. Novo curso de Direito Civil, volume 1: parte geral. São Paulo: Saraiva, 2016.

GOMES, O. Introdução ao direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 1997.

GONÇALVES, C.R. Direito Civil Brasileiro. Volume 1: parte geral. São Paulo: Saraiva, 2012.

NERY JÚNIOR, N.; NERY, R.M.A. Código Civil comentado. São Paulo: RT, 2008.

NEVES, D.A.A. Manual de Direito Processual Civil. Salvador: JusPodvm, 2017.

PEREIRA, C.M.S. Instituições de direito civil: introdução ao direito civil e teoria geral de direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

SIMÃO, J.F. Tempo e direito civil: prescrição e decadência. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2011.

TARTUCE, F. Manual de direito civil: volume único. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

VENOSA, S.S. Direito Civil: parte geral. São Paulo: Atlas, 2006.

Downloads

Publicado

2018-12-30

Edição

Seção

Artigos