O Processo de Internalização da Sustentabilidade nas Organizações: Contribuições Neoinstitucionais

Autores

  • Mauro Guilherme Maidana Capelari
  • Bernando Carlos Spaulonci Chiachia Matos de Oliveira
  • Dayanne Marciane Gonçalves
  • Luciano Munck

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2013v14n1p%25p

Resumo

O presente artigo objetiva explorar as possíveis contribuições da teoria Neoinstitucional Sociológica - TNIS - para a compreensão do processo de internalização da perspectiva ambiental sustentável nas organizações. Especificamente, o estudo busca pontuar três características convergentes entre a TNIS e a perspectiva ambiental sustentável nas organizações, sob a perspectiva do processo de internalização. Para tanto, fundamentou-se metodologicamente em referências nacionais e internacionais que englobaram periódicos, livros, resumos e resenhas. Primeiramente, foram esclarecidas as nuances da TNIS, para em seguida construir um conceito de sustentabilidade ambiental. Diante desses dois panoramas, foram trazidos à tona três pontos de aproximação entre os objetos em julgamento. O primeiro ponto tratou da análise das convergências na visão de sociedade pertencente a um construto social, minimizando, por consequência, o individualismo metodológico. O segundo analisou o viés isomórfico da TNIS em seus três campos de estudos: coercitivo, normativo e mimético. Por fim, o terceiro ponto convergente versou sobre a análise da sustentabilidade ambiental sob a ótica do viés cognitivo, como forma de conformidade organizacional a valores externos, aproximando a TNIS do lado determinístico de um debate a respeito da natureza humana e das teorias organizacionais. Concluiu-se, portanto, que há pontos passíveis de convergência entre a Teoria Neoinstitucional e a perspectiva ambiental da sustentabilidade que comprovam a possibilidade de uso da TNIS como aporte para o entendimento da internalização da sustentabilidade ambiental nas organizações.

Downloads

Publicado

2015-07-02

Edição

Seção

Artigos