Aspectos Jurídicos e Sociais da Desapropriação de Terras: o Caso da Usina Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães em Tocantins

Autores

  • Sheila Cunha da Luz Faculdade Guarai, Curso de Direito. TO, Brasil.
  • Fernando Negret Fernandez Faculdades Alves Faria, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Urbano. GO, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2018v19n1p8-17

Resumo

Resumo

A desapropriação de terras é um procedimento utilizado pelo Estado brasileiro para a construção de hidrelétricas e outras obras, o qual é motivo de controvérsias devido aos impactos sociais e ambientais que ocasiona. No contexto desta problemática, os objetivos da presente pesquisa foram analisar os impactos sociais da desapropriação das terras para a construção da usina hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães em Lajeado, Tocantins, bem como realizar uma análise jurídica, teórica e conceptual da desapropriação de terras e, uma análise concreta do processo de desapropriação das terras alagadas pela construção da usina e a situação das famílias desapropriadas e transferidas. A metodologia utilizada incluiu a revisão bibliográfica de autores e obras, que abordam e definem os conceitos jurídicos da desapropriação de terras e os procedimentos para realizá-la; a pesquisa documental para análise de material e documentos institucionais, particularmente, sobre os procedimentos de desapropriação realizados na região e o diagnóstico socioeconômico e planes da empresa Themac Engenharia para o reassentamento das famílias desapropriadas; a pesquisa de campo, foi realizada junto às famílias, suas lideranças e pessoas chaves que conhecem e padecem os impactos socioculturais resultantes da desapropriação e o deslocamento dos grupos familiares. A pesquisa conclui que, efetivamente, houve profundos impactos socioeconômicos e culturais nas famílias, que ocupavam as terras desapropriadas e foram transferidas para outra região de características socioambientais muito diferentes.

Palavras-chave: Desapropriação de Terras. Hidrelétricas. Aspectos Jurídicos e Sociais.

Abstract

Land expropriation is a procedure used by the Brazilian Government to build hydroeletrics and other constructions, which is a reason for controversy due to the social and environmental impacts that it causes. In the context of this problem, the aim of this research was to analize the social impacts of the land expropriation to build Luis Eduardo Magalhães Hydroelectric, in Lajeado, Tocantins, as well as perform a legal, conceptual and theoretical analysis of the land expropriation and a concrete analysis of the expropriation process of flooded lands by the Power Plant construction and the situation of the transferred and expropriated families. The used methodology included a bibliographic review of authors and works that approach and define the legal concepts of the land expropriation and the procedures to carry it out, documental research to analyze documents and institutional material, particularly about the expropriation procedures carried out in the region and the socioeconomic diagnosis and plans of the Themac Engenharia Company for the resettlement of expropriated families; a field research was performed with the families, their leadership and key people who know and suffer the sociocultural impacts resulting from the expropriation and displacement of the family groups. The research concludes that there were indeed deep socioeconomic and cultural impacts on the families that occupied the expropriated lands and were transferred to another region of different social and environmental characteristics.

Keywords: Land Expropriation. Hydroelectric. Legal and Social Aspects.

Biografia do Autor

Fernando Negret Fernandez, Faculdades Alves Faria, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Urbano. GO, Brasil.

 

Doutorado em Economia Regional e Urbana e Mestrado em urbanismo pela UNAM de México, anos 1982 e 2000. Coordenador do Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional da ALFA, Goiânia. Professor e Pesquisador da Universidad Nacional Autónoma de Mèxico, Universidad Nacional da Colômbia, Universidade Católica de Brasília e Faculdades ALFA. Consultor do PNUD, BIRD, BID, Ministério do Meio Ambiente e FNMA.

 

 

 

 

 

Referências

BERNARDINO, J. Ações afirmativas: respostas às questões mais

frequentes. O Público e o Privado, n.3, p.88-98, 2004.

BERTOLIN, P.T.M.; BENEDITO, A. Ações afirmativas. In:

SMANIO, G.P.; BERTOLIN, P.T.M. O Direito e as políticas

públicas no Brasil. São Paulo: Atlas, 2013.

BRANCO, G.C. Racismo, individualismo, biopoder. Rev.

Filosofia, v.21, n.28, p.29-38, 2009.

BRASIL. Fundação Palmares. Disponível em:

palmares.gov.br/?p=25817>.

BRASIL, Supremo Tribunal Federal. Disponível

em: <http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.

jsp?docTP=TP&docID=6984693>.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Pesquisa e

Estatística. Síntese dos Indicadores Sociais de 2014: uma

análise das condições de vida da população brasileira.

Estudos e Pesquisas, n.34. Disponível em:

ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv91983.pdf>.

BRASIL. SEPPIR - Secretaria de Políticas de Promoção da

Igualdade Racial. 2013. Disponível em: <http://www.seppir.gov.

br/assuntos/educacao>.

BUCCI, M.P.D.; MELLO, P.B. Democratização e acesso à

educação superior – Parte II. Grupo Estratégico de Análise da

Educação Superior no Brasil – GEA. Rio de Janeiro: Flacso

Brasil, 2013.

CARVALHO, J.M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de

Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

DWORKIN, R. Levando os direitos a sério. São Paulo: Martins

Fontes, 2002.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de

France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal,

HABERMAS, J. O conceito de poder de Hannah Arendt. In:

FREITAG, B.; ROUANET, O.S. Habermas .São Paulo: Ática,

HENRIQUES, R. Desigualdade Racial no Brasil: evolução das

condições de vida na década de 90. Brasília: IPEA, 2001.

MOLINA, S.C. Raça como categoria de análise, o Estado

brasileiro e as Políticas Públicas para a promoção da igualdade

racial. In: SMANIO, G.P.; BERTOLIN, P.T.M.; BRASIL, P.C. O

Direito na Fronteira das Políticas Públicas. São Paulo: Páginas

& Letras, 2015.

MOLINA, S.C. Raça, direito e políticas públicas para a

promoção da igualdade racial no Brasil: Alguns Apontamentos.

In: SMANIO, G.P.; BERTOLIN, P.T.M. O Direito e as Políticas

Públicas no Brasil. São Paulo, Atlas, 2013.

QUEIROZ, D.M; SANTOS, J. Teles dos. Sistema de cotas: um

debate. Dos dados à manutenção de privilégios e de poder. Educ.

Soc., v.27, n.96, p.717-737, 2006.

RAWLS, J. Uma teoria da justiça. São Paulo: Martins Fontes,

ROSEMBERG, F. Ação afirmativa no Ensino Superior brasileiro:

pontos para reflexão. 2009. Disponível em:

acoesafirmativas.ufcscar.br>.

THEMAG ENGENHARIA. EIA/RIMA. 2009. Disponível em:

http://bit.do/eoe9K>.

WEDDERBURN, C.M. Racismo e sociedade: novas bases epistemológicas para entender o racismo. Belo Horizonte: Mazza,

ZAMORA, M.H.R.N. Desigualdade racial, racismo e seus

efeitos. Fractal, Rev. Psicol., v.24, n.3, p.563-578, 2012

Downloads

Publicado

2018-08-08

Edição

Seção

Artigos