Absenteísmo em Empresa do Ramo Frigorífico com Ênsafe na Ergonomia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2016v17n2p143-151

Resumo

A competitividade no mundo globalizado e capitalista impõe a cada dia máxima qualidade e rentabilidade, ou seja, novas formas de gestão de empresas que passem a produzir mais com menor custo e maior lucratividade. Este processo pode exigir aos trabalhadores múltiplas tarefas em jornadas exaustivas, maior esforço do trabalhador, e consequentemente o desenvolvimento de doenças vinculadas ao seu trabalho, também conhecidas como doenças ocupacionais, as quais podem ocasionar o afastamento dos trabalhadores. O ramo frigorífico avícola pode ser citado como um ambiente propício à aplicabilidade de princípios ergonômicos, diante do crescente problema encontrado em relação às doenças ocupacionais. Visto a extrema importância das empresas oferecerem condições adequadas para o trabalho dos seus funcionários, o objetivo geral deste trabalho foi avaliar a relação do absenteísmo por problemas ergonômicos em uma empresa do ramo frigorifico avícola, a partir da implantação de melhorias nas condições de trabalho. A implantação de cadeiras ergonômicas, de rodízios e de pausas, as adequações para apoio dos pés e as adequações dos postos de trabalho em relação à postura em pé e sentado foram algumas das melhorias implantadas, as quais atendem às normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego n. 17 e n. 36. A redução no número de faltas com atestados pôde ser observada em todos os setores. Conclui-se que as melhorias nas condições de trabalho nos setores desta empresa, produziram impactos positivos para redução do absenteísmo da empresa quando relacionados aos problemas ergonômicos.

Biografia do Autor

Márcio André da Silva Vilanova, Centro Universitário Franciscano do Paraná - FAE

Formado em Administração de Empresas atua como Gerente de Produção em Frigorífico do ramo Avícola e é pós-graduando do curso MBA em Gestão Empresarial.

Referências

BARROS, B.A.; CARVALHO, C.A.P. de; BARBOSA, N.M.; SILVA, J.D. Análise do impacto do absenteísmo em uma empresa do segmento financeiro. Governador Valadares - MG, 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (MBA Gestão Integrada da Qualidade). Universidade do Vale do Rio Doce, 2009.

BERNARDO, D.C.dos R.B.; NASCIMENTO, J.P.de B.; SILVEIRA, P.R. da; SOARES, K.G.R. O estudo da ergonomia e seus benefícios no ambiente de trabalho: uma pesquisa bibliográfica. São Paulo, 2012.

BOURGUIGNON, D.R. Aspectos epidemiológicos de acidentes de trabalho em bancários: um recorte de gênero e adoecimento. Espirito Santo, 1999.

BRASIL. Lei n. 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.htm. Acesso: 06 outubro 2015.

________. Portaria SIT n. 17, de 21 de junho de 2007. D.O.U. 26 junho 2007. Norma Regulamentadora NR 17. Ergonomia.

________. Portaria MTE n. 555, de 18 de abril de 2013. D.O.U. 14 abril 2013. Norma Regulamentadora NR 36. Segurança e saúde no trabalho em empresas de abate e processamento de carnes e derivados.

________. Ministério da Agricultura. Exportação. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/animal/exportacao. Acesso em 06 outubro 2015.

CAMPOAMOR, M.M. Estudo da ocorrência de acidentes entre trabalhadores de uma indústria frigorifica do estado de São Paulo. Ribeirão Preto – SP, 2004. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Enfermagem). Universidade de São Paulo, 2004.

CHIAVENATO, I. Planejamento, recrutamento e seleção de pessoal. Como agregar talentos à empresa. São Paulo: Atlas, 1999.

DEFANI, J.C. Avaliação do perfil antropométrico e analise dinamométrica dos trabalhadores da agroindústria do setor de frigoríficos e abatedouros: O caso da Perdigão Carambei. 2007. Ponta Grossa – PR, 2007. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Engenharia de Produção. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2007.

DONDA JUNIOR, A. Fatores influentes no processo de escolha da localização agroindustrial do Paraná: estudo de caso de uma agroindústria de aves. Florianópolis – SC, 2002. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

FINKLER, A.L.; MUROFUSE, N.T. Os problemas de saúde dos trabalhadores e a relação com o processo de trabalho em frigoríficos. 3ª Mostra de Trabalhos em Saúde Pública. UNIOESTE – Campus de Cascavel, 2009.

GIOTTO, D.B. Análise Temporal e Espacial de Condenações de Frangos em um Matadouro – Frigorifico. Santa Maria – RS, 2008. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Geomática). Universidade Federal de Santa Maria, 2008.

HEEMANN, S. Agravos à saúde e doenças ocupacionais nos trabalhadores do matadouro - frigorífico de aves de um município de Rio Grande do Sul no ano de 2012. Porto Alegre – RS, 2013. Especialização em Saúde Publica. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Medicina – Departamento de Medicina Social, 2013.

MAENO, M. Cadernos de Saúde do Trabalhador. Lesões por esforções repetitivos – LER. São Paulo: Kingraf, 2001.

NETO, A.D.M. Absenteísmo nas Empresas. Brasília – DF, 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Administração). Centro Universitário de Brasília. Brasília, 2006.

PISSININ, F.C. Estudo sobre o impacto do absenteísmo na produtividade de um frigorífico. Pato Branco – PR, 2012. Especialização em Gestão Contábil e Financeira. Universidade Tecnologia Federal do Paraná, 2012.

RUSCHEL, M.S.; MOREIRA, S.M. Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (Ler/Dort) a principal causa de afastamento de trabalhadores em frigoríficos de aves. III Congresso Nacional de Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas, Francisco Beltrão – PR. Outubro, 2014.

TAKEDA, F. Configuração ergonômica do trabalho em produção continua: o caso de ambiente de cortes em abatedouro de frangos. Ponta Grossa – PR, 2010. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Engenharia de Produção). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2010.

Downloads

Publicado

2016-12-09

Edição

Seção

Artigos