Risco e Retorno: uma Análise Comparativa entre as Empresas de Controle Familiar e Não Familiar

Autores

  • Cristina Ferabolli
  • Giselle Brasileiro
  • Luciano Piazza
  • Maicon Schwerz
  • Tadeu Grando

DOI:

https://doi.org/10.17921/2448-2129.2014v15n2p%25p

Resumo

Este trabalho tem por objetivo analisar se os indicadores de risco e retorno das empresas de controle familiar foram diferenciados em relação às empresas de controle acionário não familiar, no período de 2008 a 2012. Dentre todas as empresas que negociaram suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo, no período em estudo, a seleção da amostra teve como base o índice de presença da Economática, sendo que aquelas que tiveram negociação em mais de 50% dos dias úteis de cada ano foram selecionadas. Os resultados demonstram que o retorno médio anual (RA) das empresas com controle não familiar foi superior ao retorno médio anual das empresas com controle familiar, somente nos anos de 2009 e 2010. Além disso, as empresas de controle familiar apresentaram desempenho superior ao das empresas não familiares. Resultados similares foram identificados nos retornos médios diários (ADR), nos quais as empresas de controle não familiar obtiveram retornos superiores àqueles apresentados pelas empresas familiares. Em relação ao risco, as empresas familiares apresentaram desvio padrão (DP) médio superior à média do DP das empresas não familiares, o que sugere maior volatilidade nos retornos diários das empresas familiares e, consequentemente, maiores riscos nesses investimentos.

Downloads

Publicado

2015-07-01

Edição

Seção

Artigos